domingo, 1 de janeiro de 2012

2012

Bem, andei meio distante - ainda não estou perto de onde quero chegar - Chegar aonde, mesmo? Também não sei. Essa incerteza de ser é companheira de viagem: as vezes na bagagem, as vezes segurando minha mão. Escrever é necessidade - não obrigação: por isso, por mais que eu tente, não consigo parar... Se eu não 'perder tempo' para escrever, em que ganharei tempo?
Por falar em tempo, esse fator condicionante que nos acondiciona, ritualisticamente, temos um novo ano, novo tempo. Digo que entre ultimo dia de 2011 e o primeiro de 2012  não fiz nenhum plano para os próximos 365 dias (+ 1 - bissexto) - a não ser a ideia fixa de aprender a tocar violão (depois de ter aprendido a andar de bicicleta no ano passado - sei que posso tudo).
Hoje, faço das palavras de Viviane Mosé, as minhas: Nada de poemas presos! Viva a poesia!

http://www.youtube.com/watch?v=4CrEFX4Bjns&sns=fb


3 comentários:

Mayara Moraes disse...

Que 2012 venha repleto que realizações pra você. Porque como vc mesma disse, você PODE TUDO! Sempre. Beijos.

Macabea de La Mancha disse...

Massa! Obrigada, Mayara! Feliz 2012 pra você também! Valeu a visita! Vou curiar seu blog! Bjos!

Aline Barra disse...

Camila,

ando meio sumida tb, mas continuamos no mesmo barco... rs**

Tb faço coro com a Viviane: Nada de poemas presos! Viva a poesia!

Feliz 2012!!! Beijokas!