sexta-feira, 2 de março de 2012

Estrela


Os seus olhos de segredos noturnos
- gosto de pensá-los assim:
De segredos, os mais puros!
E noturnos por, talvez,
trazer o brilho que arde no escuro,
Do meu corpo em insensatez,
Do meu desassossego sem fim...
Porque diante deles eu não nego
Quanto desejo há em mim.




4 comentários:

Pedra do Sertão disse...

Olhos que não têm calma! Isso é bem forte!

Abraço do Pedra do Sertão

Fred Caju disse...

E não há porque negar...

Caranguejúnior disse...

Amo, não nego
Demonstro enquanto eu puder...

E elas, as estrelas, só de olho.

Muito obrigado pela visita querida,
Adoro seus poemas.

grande beijo direto da lama tietônicaótica!

A.S. disse...

Em teus olhos
noturnos segredos
secretos desejos!...


Beijos!
AL