segunda-feira, 30 de julho de 2012

Saudade sentida


Os meus olhos fechados
Vêem seus olhos pequenos me vendo
Janelas donde eu via o mundo mais colorido,
Donde a lágrima, agora, vai c a i n d o...
Na minha boca, que sente o doce do teu beijo
em meus lábios tão ressequidos
pelo adeus que não demos.
E os meus ouvidos me enganam,
de ouvir sua voz rouca
e as suas risadas das minhas coisas bobas!
O seu cheiro ainda tem na minha roupa,
na rua, no livro que me deu.
As minhas mãos encontram as suas e eu...não!
Não são as suas mãos.
Não ter o teu colo, teu bem, meu bem,
É por nenhum outro colo e bem me contentar
Saudade sentida é, então, aguçar os sentidos
para ter por perto quem não está.

2 comentários:

Cristiano Marcell disse...

Bravo!

Maxwell Soares disse...

Que bela poesia. A saudade ou nostalgia é um sentimento que move os poetas. Um abraço...