sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Coração

São quatro paredes
E dentro, um colchão
Não há mais nada
Nesta escuridão
Que já foi casa
Hoje é porão
Não há porta de acesso
Nem sei por onde começo
A reconstrução

3 comentários:

Leonardo B. disse...

[onde começa,

onde a nascente,
onde a foz do coração?]

um imenso abraço,

Leonardo B.

Fred Caju disse...

E o transtorno futuro da reforma, há de se recompensado.

Verso Aberto disse...

eita coração
paredes de espelho
porão confessionário
mas, casa segura
em tempos de vendaval

abração Macabea