segunda-feira, 30 de abril de 2012

Fênix

Havia um vazio em meu coração. Mas, lá no fundo havia uma pequena reserva de amor. Que alguem veio e... Quando eu menos esperava, onde estava? Fui roubada! Saiu às escuras. Sabe duas vezes vazio?! Então... De frente pro espelho A lágrima desce quente e silenciosa. Deixo que caia Até que a fonte seque. Arrumo os cabelos E me preparo para guerra Como quem prepara uma vingança. O rosto limpo, um sorriso alívio, Os olhos queimando! E percebo: acabo de entrar em auto-combustão. Precisava esvaziar-me para me tornar cinzas. Como é bom ser cinzas. Só sendo cinzas para poder renascer.

Um comentário:

Aline Barra disse...

O vazio é o espaço da criatividade, Camila... É nele que a vida pode renascer!

Abraços carinhosos!

Aline.