terça-feira, 10 de abril de 2012

Um poema por dia

Eu te escrevo um poema por dia, mas é segredo!
Eu te escrevo um poema todo dia na intenção de que minhas palavras te alcancem.
Não para que tenhas lembranças minhas,
Mas para que um sorriso te venha sem motivo
E uma borboleta pouse em teus cabelos...
Para que sintas o cheiro de capim santo - que deixa tudo tranquilo
Depois do banho da noite, antes de dormir.

Eu te escrevo um poema por dia para agradecer estar vivo
E pelo simples motivo de poder fechar os olhos e te ver.
Isso não me basta para as incuráveis horas de saudade,
Nem para as noites de desejos sem fim.
Mas me vale para escrever meus versos -
nos muros, nos livros velhos e em mim.

2 comentários:

Raul Motta disse...

li[n]do!

Fred Caju disse...

Saudações quem aqui posta e quem aqui visita.
É uma mensagem “ctrl V + ctrl C”, mas a causa é nobre.
Trata-se da divulgação de um serviço de prestação editorial independente e distribuição de e-books de poesia & afins. Para saber mais, visitem o sítio do projeto.

CASTANHA MECÂNICA - http://castanhamecanica.wordpress.com/

Que toda poesia seja livre!
Fred Caju