sexta-feira, 15 de julho de 2011

Viajante


A carroça do mundo

Carrega um segredo
De roda-viver e estrada-morrer
De amor e de medo.

O carroceiro é quem atravessa
Rios e pontes sem perceber
Que o amor-roda o leva à vida
E o medo-estrada o faz morrer

Só quem sabe o que leva no peito
É capaz de compreender o instante
Que o tempo que passa é roda e estrada
E que na vida, somos todos viajantes.

4 comentários:

Fred Caju disse...

Gostei da interligação concreto-abstrato que você fez. Bem legal!

Macabea de La Mancha disse...

Opa, obrigada! Valeu a visita! Adorei a 'cajuína'! :D

Celso Mendes disse...

Conheço algumas Macabeas. Clarice Lispector as imortalizou. Agora, essa união com D. Quixote parece dar asas para muitos voos. Gostei muito do poema, Maca (permita a intimidade..rs). Gostei de seu espaço, que conheci ao acaso. Volto para ver suas andanças.

Macabea de La Mancha disse...

A estrela brilha de alegria quando recebe visitas tão carinhosas como estas! Voltem mesmo!! Obrigada!