sábado, 3 de setembro de 2011

Efeito borboleta

Enquanto dorme
Seu sono
Inconsciente
Minhas mãos-borboletas
Confidentes
Passeiam
Pelos sonhos
Que povoam
O seu jardim-coração.

Bato as asas
Acordas.
Sou tufão.

3 comentários:

Aline Barra disse...

Q dengo em forma de poesia, Macabea!! Gosto demais desta tua leveza!!!

Beijos!

Mima disse...

Que suave... senti-me quase que flutuando ao ler este singelo poema.

Lindo, Macabéa! Muito precioso, como tudo o que vc escreve.

Bjo e fica com Deus.

Mima.

Luiz Luz disse...

Muito belo...

Simplicidade que carrega uma beleza tão ímpar.

Parabéns!