segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Aprendizado


O amor é - terno,
Mas não dura para sempre!

2 comentários:

Maxwell Soares disse...

Oi, Camila. Fique pensado, agora, nesta sua frase: "O amor é terno,
Mas não dura para sempre!". Desculpe-me não concordar, a princípio, aqui. É preciso saber de que amor estamos falando, a saber: "O Eros, Philia ou Ágape?". Kierkegaard, filósofo dinarquêz, em fala do amor de uma maneira exuberante. Para ele exite o amor de predileção ou preferencial e o amor eterno - Tu deves. O primeiro este fadado ao fracasso. Para sobreviver é necessário sempre cultivá-lo desesperadamente. Sua existência deve mais as suas ações do que as suas reais intenções subjetivas. O segundo, o amor eterno, ou melhor, o tu deves, é visto como uma Lei. É isso mesmo. Um Lei. Não é que podemos escolher este ou aquele para amar. No entanto, o verdadeiro e fiel amor é amar a todos como a mim mesmo. Esse amor "terno" nesta proporções são verdadeiramente fidedignos. Espera tenha ficado um pouco claro, aqui. Querida, um abraço... Gosto,também, deste seu espaço...

Macabea de La Mancha disse...

Este amor terno que falo é o amor eros que por mais que o idealizemos como é-terno, não dura para sempre se não é cultivado.

Mas poesia é isso aí: é nos fazer repensar, discordar, duvidar, refletir!

Obrigada por suas contribuições aqui!

Abraço